Consumo de sal em excesso pode afetar o cérebro

05/02/2015

Ingestão excessiva do tempero pode interferir em mecanismo que impede a pressão arterial de subir

O consumo excessivo de sal pode \"reprogramar\" o cérebro, interferindo em um mecanismo de segurança natural que evita que a pressão arterial aumente. A conclusão é de uma equipe internacional de pesquisa liderada por cientistas da Universidade McGill, em Montreal, no Canadá.

Novo estudo diz que só consumo de sal não pode provocar pressão alta

Embora a relação entre o sal e a hipertensão seja bem conhecida, os pesquisadores até agora não tinham entendido como a ingestão elevada de sal aumenta a pressão arterial. Ao estudar cérebros de ratos, a equipe descobriu que o consumo de grandes quantidades do tempero na dieta provoca alterações nos circuitos de chave do cérebro.

Veja dicas de como trocar o sal por outros temperos mais saudáveis

— Descobrimos que um período de ingestão alta de sal na dieta em ratos provoca uma mudança bioquímica nos neurônios que liberam vasopressina (VP) para a circulação sistêmica. Esta mudança evita a inibição destes neurônios que controlam a pressão arterial — explica Charles Bourque, líder do estudo.

Os resultados foram publicados na revista Neuron e concluíram que o consumo elevado de sal impede a inibição de neurônios VP pelo circuito de detecção de pressão arterial do corpo. A desativação deste mecanismo de segurança permite que a pressão arterial suba naturalmente quando uma grande quantidade de sal é ingerida durante um longo período de tempo.

Embora a descoberta seja um avanço para compreender a relação entre a ingestão de sal e a pressão arterial, os cientistas reconhecen que é necessário trabalhar para explorar uma intervenção terapêutica.


Todos os direitos reservados - 2016 - Webmail